23° Grito dos Excluídos vai refletir sobre direitos e democracia

07/08/2017 às 09h02

“Por direitos e democracia, a luta é todo dia”. Este é o tema escolhido para o Grito dos Excluídos 2017, que acontece no dia 7 de setembro, em Congonhas. Na arquidiocese de Mariana a organização e mobilização para a 23° edição já iniciou.

Com o objetivo de valorizar a vida e anunciar a esperança de um mundo melhor, construindo ações a fim de fortalecer a classe trabalhadora nas lutas populares, o evento pretende reunir milhares de pessoas na cidade dos profetas.

Como nos anos anteriores, a concentração para a caminhada será na praça em frente à Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a partir das 8h. Após a oração, falas, encenações que têm início às 8h30, os participantes seguirão em peregrinação para o Santuário do Senhor Bom Jesus, encerrando a programação com a celebração da missa às 11h e leitura da Carta-Compromisso.

Segundo o assessor da Dimensão Sociopolítica, padre Marcelo Santiago, as falas durante o Grito dos Excluídos serão agrupadas a partir de três grandes temáticas. “O primeiro grupo é reformas em curso e defesa de direitos, o segundo é o Estado que queremos: políticas públicas, participação popular, democratização dos MCS, uma sociedade pautada no bem viver e o terceiro grupo ecologia integral e cuidado com a Casa Comum: terra, água, vida humana e do planeta”, explica.

Todas as paróquias, pastorais e movimentos são convidados a participar desta caminhada. “Venha participar conosco. Organize sua caravana, mobilize sua comunidade paroquial, as lideranças religiosas e sociais. Traga faixas e cartazes, manifestando seu protesto, suas lutas sociais, suas utopias em defesa da vida e por um mundo melhor”, reforça padre Marcelo.

PROGRAMAÇÃO DO GRITO DOS EXCLUÍDOS NA ARQUIDIOCESE

Leia a carta enviada pelo assessor da Dimensão Sociopolítica, padre Marcelo Santiago, as paróquias.

Veja a apresentação do Grito dos Excluídos

                                                         


Voltar

Confira também: