Fórum Acolher realiza reunião aberta

18/03/2017 às 10h11

O Fórum Acolher realizou a sua primeira reunião aberta do ano nessa sexta-feira, 17, no Centro Arquidiocesano de Pastoral, em Mariana. O encontro contou com a presença de profissionais da área da saúde, atingidos, representantes da Arquidiocese e de movimentos.

A conversa foi iniciada com uma contextualização do cenário atual dos atingidos, realizada pelo coordenador arquidiocesano de pastoral, padre Geraldo Martins. Em sua fala, ele apresentou o trabalho desenvolvido pela assessoria técnica, falou sobre o ato de um ano do rompimento, em novembro de 2016, da atuação do Ministério Público, da organização e dos projetos desenvolvidos com os atingidos e da volta da Samarco.

Com o objetivo de trabalhar o acolhimento dos atingidos pela barragem de Fundão na cidade de Mariana, o Fórum começou a se reunir para pensar nesta recepção. “Nós começamos a perceber que estava tendo vários processos de hostilização por parte da população. E o Fórum pretende ampliar as discussões em torno disso, de desmistificar que os atingidos são culpados pelos problemas que a cidade está passando, mas, também, de pensar em um espaço que eles possam fazer parte e que possam construir a sua história”, explica a psicóloga, Janaina Morais.

I Seminário Acolher

Em outubro de 2016 foi promovido o I Seminário do Fórum Acolher. As propostas e que nasceram deste evento foram retomadas na reunião. Destas sugestões o grupo planejou os trabalhos para 2017.

“Nós elaboramos algumas comissões, dividas em eixos, aonde iremos nos reunir para tratar as deliberações do seminário. Em maio iremos apresentar os resultados desses levantamentos em uma nova reunião aberta. Agora cada comissão vai se reunir para discutir os eixos e pensar em pontos de articulação dos trabalhos”, conta Janaina.

As próximas ações do Fórum serão norteadas pelos eixos: articulação, produção de conteúdo e formação/articulação. “Nesse processo queremos privilegiar a participação dos atingidos ao máximo e dos setores que estão trabalhando junto a eles”, ressalta Janaina.


Voltar

Confira também: